Nenê Cresceu Seu Brechô Infantil On-Line

Bem vindo!

×

Cadastre-se

Informações iniciais

Dados de acesso

ou login

Primeiro nome é necessário!
Sobrenome é necessário!
Primeiro nome não é válido!
Último nome não é válido!
Este não é um endereço de e-mail!
Endereço de e-mail é necessário!
Este e-mail já está registado!
Senha requerida!
Digite uma senha válida!
Digite 6 ou mais caracteres!
Digite 16 ou menos caracteres!
As senhas não são iguais!
Termos e Condições são obrigatórios!
E-mail ou senha está errada!

Dormir com a mamãe e/ou papai: certo ou errado?

Esse tema é bastante complexo porque engloba várias realidades, como: cultura, situação socioeconômica, dificuldade dos pais em lidar com os medos noturnos dos seus filhos, culpa, carência, etc.

Mas nesse texto, vou dizer sobre a condição dos pais que “permitem” que seus filhos deixem seus quartos e durmam com eles na mesma cama. Aqui é uma situação de escolha, compartilhada por todos os envolvidos.Tenho ouvido muito esse relato das pessoas ao meu redor e, por isso, resolvi escrever sobre esse tema.

DORMIR NENE CRESCEU

Sou mãe e sei o quanto é gostoso deitar com nossos filhos, abraçá-los, afagá-los, beijá-los até fazer cócegas... Porém, permitir que durmam conosco não é tão favorável quanto é gostoso.

Por quê? Pensando no bom desenvolvimento infantil e do ser em formação, de forma geral (até seus vinte e poucos anos) é muito importante valorizarmos o quanto nós adultos estamos preparando esse indivíduo para ter uma boa autonomia e seguir a sua vida de forma segura e confiante.

Como é muito prazeroso ter nossos filhos em nossos braços acabamos negando a possibilidade de que uma atitude simples e ingênua como essa poderia interferir no desenvolvimento da confiança e autoestima deles.

Mas a verdade é que interfere sim. Assim como não podemos estar com eles na escola, nas atividades extracurriculares, nas brincadeiras, não podemos estar na hora de dormir. Cada vez que consentimos esse “acordo” estamos sendo coniventes com o processo de insegurança que, por si só, já existe durante todo o desenvolvimento do ser humano. É preciso, assim como em outras situações da vida, que nossos filhos tenham a coragem de enfrentar os desafios, os medos, as carências, as faltas e não se tornem dependentes de outros para conseguirem enfrentar as suas adversidades. É enfrentando que superamos, não existe fórmula mágica.

Claro que não estou falando de deixar seu filho sozinho no quarto, aqui é que entra o bom senso. Ficar com ele até adormecer, contar histórias ajudá-lo a enfrentar o medo, caso tenha, se faz muito necessário. O “abandono” frente às necessidades o deixará mais ansioso e dependente.

Encorajar seu filho a entender que pode superar, com a ajuda da nossa sabedoria e experiência, o ajudará a se fortalecer, descobrindo sua própria força. Além do mais, dormirá melhor, terá sempre sua privacidade preservada (pais e filhos), entenderá melhor sobre limites: até onde posso ir, mesmo desejando; estará trabalhando sua boa autoestima porque sabe que está fazendo o mais adequado e, ainda, poderá ficar mais produtivo, porque terá uma noite de sono muito melhor ao dormir sozinho na cama.

Então, essa noite, antes de colocar seu filho na sua cama e dormir com ele, reflita em tudo isso, porque sei, assim como eu, que você deseja o melhor para seu filho, contudo, sei que você sabe que nem sempre o mais gostoso é o melhor para ele. Deixemos de ser egoístas e aprendamos que nos frustrar e frustrá-los faz parte da educação saudável, seja ela emocional ou física. Assim, quando eles se negarem a fazer algo que não aprovamos teremos mais propriedade para explicarmos o que é melhor para eles e, também, com certeza, sofreremos menos resistência da parte deles a entender e a atender. Quanto mais souberem lidar com suas frustrações mais maduros, independentes, confiantes e felizes serão.

Portanto, o certo e/ou errado, quando você pode escolher, é você quem decide, mas lembre-se que tudo tem sua consequência.

VANESSA PONTONI MARTINS

PSICÓLOGA E NEUROPSICÓLOGA

https://vanessapontonimartins.wordpress.com/

foto 1

3 ideias sobre “Dormir com a mamãe e/ou papai: certo ou errado?”

  • claudia

    A minha filha tem 1 ano e 10 meses,nunca dormiu junto comigo e o meu marido.Quando a minha filha era recem nascida e tinha colica,o meu marido a colocava em cima da sua barriga,pq eu tinha feito uma cesariana para a Dafne adormecer.Passada a fase das colicas,a dafne começou acordar de madrugada assustada,entao eu a pegava e deixava dormindo ao meu lado.Qdo adormecia eu a colocava de volta no berço.O engraçado que a Dafne ,e independente,faz as coisas sozinhas,mas sempre sendo supervisonada pq e muito sapeca.
    Eu fico coma minha filha na cama ate ela dormir,da certo pq ela adormece rapido.

    Responder
  • Jessie

    Hey, good to find sooenme who agrees with me. GMTA.

    Responder
Deixe seu comentário
Carrinho

Nenhum produto no carrinho.